É oficial, a mamã entrou nos "entas" e começou o dia - como já vem sendo tradição cá em casa - a ouvir os parabéns desafinados do papá e dos filhotes e a receber os seus presentinhos.
O papá safou-se bem com uns phones xpto e os filhotes mais velhos com uma máquina de pipocas para as nossas sessões de cinema.
Os filhotes mais novos não tinha presente, mas nem por isso deixaram de me oferecer o seu melhor...


(Nonô) O teu presente sou eu, mamã! Mas ainda tenho outra coisa para ti...



As bandoletes com orelhas de animais estão na moda. Só nunca pensei que ela improvisasse umas de gato para mim...
Quando o nosso telemóvel apita, em modo alarme, e percebemos que temos um filho a precisar de ser acordado... e a precisar de uns miminhos também!


Preferidos não há, cá em casa, mas felizmente os miminhos chegam para todos!
A Madalena Aragão (que agora podem ver na novela "Paixão") já tem o meu novo livro da "Escola das Artes 2", e contou no seu blog como está a correr a experiência...


https://madalenanaoequeque.wordpress.com/2018/04/11/escola-das-artes-a-magia-dos-sonhos-%f0%9f%8e%aa/


Passo a vida a dizer aos meus filhos que eles não podem ficar muito tempo na sanita, por causa das bactérias.
Mas se é com os meus livros na mão, eu até tenho vontade de deixar... ;)

Obrigada, minha sobrinha emprestada Madalena!

#EscoladasArtes2ACaminho
Mãe, prestes a fazer 40 anos, a comer com os filhotes mais velhos à hora do almoço, enquanto ouvíamos os seus Raps preferidos.


(Afonso) Mas não vais fazer festa porquê?

(Mãe) Ai, filho... Não insistas. A mãe não tem tempo...

(Afonso) Mas tu andavas entusiasmada. Até querias dançar e tudo!

(Mãe) Dançamos em casa, filho. Todos os dias, se tu quiseres.


Trocou uns olhares com o irmão, calou o Rap e pôs a tocar "Não Há Estrelas no Céu".

E a mãe riu.

Seguiu-se "Estou na Lua". "Cinderela".

E a mãe até já estava a cantar!

Pôs o "Umbelico del mondo"... e acabámos os três a dançar!



Mesmo sem festa, os 40 anos chegarão e será para ficar.

Mas fazer 40 anos com filhos destes é uma sorte tremenda!


Já conhecem a nova revista “Pais”?
Dirigida pela Helena Gatinho, conta com boa parte da equipa da anterior “Pais&Filhos”, muitos temas pertinentes e caras novas - entre elas, a minha, intercalando uma crónica com a Mariana Avillez. Ela tem 7 filhos, eu “só” tenho 4, mas não vão faltar-nos histórias bem dispostas e reflexões sobre o que é isso de educar filhos nos dias de hoje...

Não percam esta edição, já nas bancas, e contem com as peripécias cá de casa, na edição de maio...



#RevistaPais
Contam-se os ossinhos todos, mas é capaz de comer dois pratos destes de cogulo...


Devia haver um subsídio de refeição extra para famílias com adolescentes...
Depois de jantar, a Nonô improvisa no piano (e chama a mamã para tocar com ela), enquanto o Dudu desenha (e me vai pedindo dicas para criar os seus bonecos originais). Depois vão para a cama ler os seus livros, enquanto a mamã vai dar o jantar ao Titão que chegou entretanto do treino. O Titão põe música e vamos dançando os dois, entre uma garfada e outra. O mais velho chegou uma hora mais tarde e agora tenho de o ir mandar deitar, porque anda viciado no "Ensaio sobre a Cegueira".

Posso não ter muito mais para deixar aos meus filhos. Mas passar-lhes este gosto pela leitura, pela música, pela dança, pelo desenho, e poder ser companheira deles nas suas manifestações artísticas, já me deixa de coração tão cheio!
É o meu novo artigo no Portal SJ, que fala dessa loucura de termos tanta gente a precisar de cuidados (crianças, idosos, doentes) e o papel de Cuidador ser ainda tão pouco reconhecido e valorizado, no nosso País.

Vamos pensar nisto todos juntos, com urgência?


"Ter filhos, nos dias que correm, é uma árdua aventura, com horas extra de trabalho diário, múltiplas responsabilidades e despesas avultadas, incomportáveis para tantas famílias. Mas será justo que seja tão pouco valorizada?"

https://pontosj.pt/opiniao/e-se-cuidar-dos-filhos-fosse-uma-profissao-remunerada/

(Titão) Sabes que o meu amigo R. está a tentar que eu seja popular...

(Mãe) Mas tu não és popular?

(Titão) Não muito. Ele é muito mais do que eu! Então, para me ajudar, põe-se a dizer às pessoas que eu sou filho da escritora da "Massa Fresca" e dos "Morangos com Açúcar"...

(Mãe) E isso ajuda?

(Titão) Nãoooo! É que eu não quero ser popular! Depois tenho toda a gente a olhar para mim e fico bué... "tirem-me daqui". Eu sei que tu não é nenhum Cristiano Ronaldo, que não pode ir a lado nenhum e o filho também não. Deve ser horrível! Mas também não é fácil ser-se filho de uma escritora...

E esta, hein?

Ou como fazer magia com luz e duas mãos irrequietas...


Basta fazermos uma refeição sem telemóveis, para a arte surgir onde menos se espera...
(neste caso, by Dudu)

As férias, este ano, levaram-nos até ao Algarve para três dias de sol e temperatura amena, com muitos espanhóis e ingleses à mistura. Nós passávamos sempre por ingleses, por causa do cabelo e olhos claros, ao ponto de o Dudu já estar cansado de se dirigirem a ele noutra língua.

(Dudu) Devíamos arranjar um cartaz a dizer "Somos portugueses!"

Curiosamente, quando fomos até Ayamonte, só se ouvia falar português!

(Dudu) Na Páscoa as pessoas trocam de país umas com as outras, é isso?

Pelo meio ainda tivemos tempo para uns karts - um campo ao pé de Albufeira, com atividades para todas as idades - bowling na marina de Albufeira, um gelado na marina de Vilamoura, e um concerto gratuito da magnífica Gisela João no Design Algarve.





Tenho sempre dificuldade em chamar "férias" às viagens que fazemos em família - na verdade, voltamos sempre a casa a precisar ainda mais de férias! - mas fugir das rotinas do dia-a-dia e ouvir os nossos filhos sem as pressas do costume, faz sempre tão bem!

Para o verão há mais!




É, neste momento, a coleção sensação, cá por casa!

Comprei o primeiro ao Dudu, e tive de ir a correr comprar o segundo, porque o primeiro foi lido em dois dias.

O Sebastião ficou curioso e despachou os dois em dois dias.

Seguiu-se a Leonor, que repetiu a proeza.

É verdade que tem muita ilustração e páginas com pouco que ler (daí a rapidez). Mas há muito que não via os meus filhos tão agarrados a um livro, a não quererem dormir sem terminarem de o ler.

Venha o terceiro!
O Afonso foi este ano com a escola a Madrid, na sua viagem de finalistas do 9º ano...

(Pára tudo! 9ª ano, já?!? Quando este blog começou o Afonso tinha 2 anos!)

... e achou que este era o melhor objeto para trazer de lá e oferecer à família:


Conhece-nos tãaaaaaaaao bem!
O grande fã do género, cá em casa, era o Afonso, que agora se fartou do género e anda agarrado ao "Ensaio sobre a Cegueira".
Mas um festival com todos estes ingredientes só pode ser qualquer coisa do outro mundo!

Vamos?

Levar o lixo reciclado, passear a nossa Cuca e andar de bicicleta, já era um trio maravilhoso...

Mas hoje a Leonor resolveu improvisar e trocar a bicicleta pelos patins.


A estrada não é propriamente um rinque, e os passeios de pedras muito menos!
Mas chegámos a casa inteiras (a Leonor sem danos físicos e eu sem o coração demasiado sobressaltado), e pelo caminho a Nonô ainda teve tempo de criar uma nova modalidade...

(Nonô) Olha, mamã... Meditação em patins! E ao mesmo tempo fortaleço os músculos das pernas...


Eu sei que tenho fobia do tempo perdido e, como tenho sempre muito que fazer, estou sempre a pensar em formas de fazer mais do que uma coisa ao mesmo tempo (by the way, estou a secar o cabelo enquanto escrevo este post). Nunca pensei foi ter uma mini-Sara de metro e meio com as mesmas preocupações, que (tal como eu) também anda sempre com uma mochila pesada, não vá ter um buraquinho de tempo que dê para aproveitar para qualquer outra coisa que lhe apeteça; que aproveita para cortar as unhas ou fazer desenhos para as amigas enquanto eu leio uma história; e o que gosta mesmo é de fazer os trabalhos de casa enquanto vê os episódios das Sereias (no meu tempo eram os desenhos animados da tarde, no único canal que havia!).
Tudo se herda...
(Titão) Mãe, vamos treinar ténis!


Não temos rede de ténis, com um pequeno campo asfaltado que eles geralmente usam para jogar ténis (e mesmo esse molhado da chuva da manhã)... "Onde é que eles foram jogar ténis?!"


A resposta surgiu depois da primeira moldura deitada ao chão...




Às vezes pergunto-me como é que há famílias que conseguem ter casas com bibelots intactos e paredes sem esfoladelas, riscos e restos de caneta... Também me pergunto se os filhos dessa família se divertirão tanto como os meus!
E quando, a seguir ao Got Talent, apanhas os teus filhos mais velhos a tentar imitar o "Pas de Quatre" (quais patos marrecos num Lago dos Cisnes) e depois ainda tentam fazer equilibrismo com uma placa do forno e um rolo de sacos do lixo...


(Mãe já virada do avesso) Eu bem digo que vocês não podem jogar computador. Quando jogam à tarde, saltam-vos uns quantos parafusos da cabeça...

(Afonso) Mãe, vá lá... Nesta casa temos todos um parafuso a mesmo. É melhor encarar já a realidade, antes que seja tarde demais. Já não há remédio!
(SMS de Titão) Mãe "trás" dinheiro quando vieres buscar o Af, Vou ao Mac com os meus amigos, ok?

(SMS de Mãe) Mensagem errada no conteúdo e na atitude. Se queres ir ao Mac, vais ter de enviar outra mensagem...


Mandou. Bem educada, com salamaleques diversos e sem erros.

Eu sei que já começo a ser antiga, mas nada como uma certa educação... também no digital!
Sabemos que temos uma relação muito próxima com os nossos filhos adolescentes...

(e atenção que há milhares de hipóteses possíveis, a maioria bem mais "normal" do que esta!)

... quando eles nos chamam à casa de banho para fizermos qual deles tem o melhor "six pack"!!!


(Para o que eu estaria guardada...)

É "rebelde" com "o"... (pode ser que seja menos grave!)

Mas vá... tem a seu favor o facto de ser um valente giraço.