Quando este blog nasceu, tinha um filho mais velho de 2 anos que fazia perguntas complicadas e que, aos 4, prometia que ia salvar a humanidade e levá-la para outro planeta no foguetão que iria construir.
O pirralhinho cresceu, está prestes a fazer 15 anos, gosta de Física e sonha com o MIT e a NASA, e hoje comprou a sua primeira bata. Numa loja do chinês, é certo... mas ganhar batas melhores exige esforço. E os seus sonhos exigem mesmo muito esforço. Não sei se um dia irá salvar a Humanidade ou não, mas hoje, de bata na mão, o que lhe desejei, com todas as forças, é que ele mantenha sempre a capacidade de questionar e de criar, que confie nas suas capacidades, não esqueça os seus valores e, no meio de todas as lutas que travar, não se esqueça de ser feliz...

O Titão anda há umas semanas dedicado à magia. Aprende os truques no youtube e treina, treina, até se sentir à-vontade para vir apresentá-los à família. E não é que ele tem um jeitão? Pensa nas situações, nas piadas a dizer, até na forma de disfarçar alguma coisa que não corre bem... Temos artista!

Os irmãos ficam doidos com as magias, e procuram imitá-lo... sem sucesso.

E a magia de hoje à tarde consistia em enrolar um atacador à volta do pescoço e, puxando pelas duas pontas (como se se fosse apertar o pescoço), ficar com a corda solta, nas mãos.
Claro que aquilo tem um ritual de colocar a corda de determinada maneira, e o Dudu procurou ver de um ângulo e outro como se fazia... Depois foi buscar um atacador, fechou-se na casa de banho durante um bocado, e voltou com a dita corda ao pescoço.

(Dudu) Queres ver, mãe?

Puxa as duas pontas com força e aperta o pescoço.

(Dudu) Ups! Falhei...

E não é que falhou algumas dez vezes?

(Nota 5 na Persistência. Nota 2 na Trapalhice. Não se pode ter tudo...)
(Dudu) Ó mãe, inventei um truque para quando fores mais velhinha e tiveres de te defender das tuas amigas velhotas...

(Mãe) Defender? Como assim?

(Dudu) Só tens de lhes torcer o braço para trás, e depois puxas por aquelas peles que estão na parte debaixo do braço, e que dantes era músculo, estás a ver? Tu também já tens um bocadinho... Resulta sempre com as velhotas!


PS - Só mesmo o Dudu, para ficar a pensar em truques para auto-defesa para velhotas...
PS 1 - Mas por que raio é que as minhas amigas velhotas iriam atacar-me?!
PS 2 - Amanhã recomeço o ginásio...
O Dudu precisava de uma mochila nova. A mãe trataria de arranjar uma de bons acabamentos, que durasse mais tempo e não fosse feia de todo. O pai... bem, o pai conseguiu fazer magia!

(Dudu) Ó mãaaae.... Fiz uma asneira mas não te zangues comigo, porque eu já remediei.


Colou com UHU e pintou com guache, de cor-de-rosa...
Fiquei sem caneca, mas ganhei uma obra de arte!

(Nota 2 em trapalhada. Nota 5 em desenrascanço)

Já vai ligando menos a bonecos e a brincadeiras com filhotes.
Mas um gatito bebé acorda sempre qualquer bom instinto maternal...



É o futuro: customizar a nossa roupa, metendo as mãos na massa (ou na agulha e no dedal) para reciclar aquilo de que já não gostamos ou costurar o que nos apetece.
Este workshop é na loja de uma amiga e foi preparado para crianças e adolescentes com queda para a costura, ou vontade de aprender!

Fica a sugestão ;)



CONTACTOS:

Praceta de Sofala, nº2 A
2780-043 Oeiras
(Figueirinha – perto da esquadra da PSP)

http://www.pillow-party.com

Quem é que tem mais de 50 livros para forrar, quem é?
Não, não sou eu. Felizmente já tenho filhos crescidos, com bons bracinhos para ajudar. E, este ano, até o gatito novo vai ajudar! (ou desajudar?)


PS - "Nonô, quanto é que tu queres para forrar os meus livros?" Ai, ai, rapazes...
Estão todas e todos convidados!


Domingo, dia 2 de setembro, às 16h, nos jardins do Palácio de Belém.
O Dudu, de vez em quando, lembra-se de alguns sonhos que gostava de ver cumpridos. Alguns mais difíceis de concretizar do que outros - ir ao Butão é capaz de demorar um bocadinho - mas geralmente são coisas simples que apenas implicam alguma logística:

- Imprimir dragões para pôr na parede do quarto - já tem dois.
- Ter uma baliza no quarto - a tia ofereceu.
- Ter um colar giro - comprámos na praia.
- Imprimir uma t-shirt com um boneco escolhido por ele - já sabemos como fazer mas ainda está a escolher o desenho.
- Ter uma caricatura sua - Aconteceu, finalmente! 5€ na Rua Augusta.



O difícil foi manter-se quieto enquanto o artista o pintava. Mas lá conseguiu o que queria.
Vamos ver o que se segue...